Evolução tecnológica dos veículos 
pesados com o Proconve P8
  • Proconve P8 exigiu evolução tecnológica no motor e sistema de pós-tratamento para atingir níveis 50% menores de MP e 5 vezes menor de NOx. .
  • Inédito na América Latina, o ISC  (emissões durante a vida útil do veículo) estabelece que os veículos pesados devem atender aos mesmos limites de emissões de 0 km por até 7 anos ou 700.000 km.
12/12/2023 – O Proconve - Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores foi criado em 1986 com o objetivo de reduzir emissão dos veículos e estabeleceu sucessivas fases com limites de poluentes cada vez mais severos que exigiram reduções de poluentes de aproximadamente 97%, além da redução dos níveis de ruído dos veículos.

O Proconve P8 é baseado na regulamentação similar estrangeira, equivalente ao Euro VI, mas  com ajustes substanciais para se adequar às condições brasileiras, promovendo o desenvolvimento tecnológico nacional dos veículos, o que demandou  melhorias na especificação do combustível, da infraestrutura laboratorial e capacitação técnica brasileira, ao visar os ensaios de emissões para desenvolvimento e validação dos motores e veículos nas condições locais.

A fase P8 evoluiu com limites severos não só para o teste de motor, mas adicionou ensaios para o veículo com o equipamento PEMS – Portable Emissions Measurement System, que mede as emissões em tráfego real e que devem ser atendidas por até 700.000 km, em condições normais de uso.

P8 ainda demandou ensaios com o combustível de referência B7 (7% de biodiesel) e novos requisitos relacionados ao sistema de OBD, que identifica possíveis falhas no sistema de controle de emissões, sinaliza ao condutor para busca do reparo e ativa sistemas de persuasão que limitam o torque do veículo e a velocidade em  20 km/h, a depender da falha e caso o motorista persista em circular sem realizar o devido reparo.

Todos esses desafios foram amplamente analisados nas comissões técnicas da AEA, com participação da Indústria, governo, academia e especialistas, por meio das quais  as propostas fundamentaram a definição dos procedimentos de certificação do produtos nas condições brasileiras, garantindo o desenvolvimento de um produto robusto, confiável e sustentável, apoiando a evolução da mobilidade nacional.

_______________________________________________________________________
Imagens:

 
    
Download    
    

A AEA – Associação Brasileira de Engenharia Automotiva é uma entidade sem fins lucrativos que tem como objetivo ser um fórum neutro de discussão sobre questões estratégicas relativas à engenharia automotiva nacional com envolvimento direto da indústria automotiva, de órgãos governamentais, instituições de ensino e de pesquisa, entidades internacionais e a sociedade em geral. A entidade conta com um sólido histórico de mais de 35 anos de grandes contribuições para o desenvolvimento da engenharia automotiva e das políticas públicas do setor, com a ação sustentada em pilares como conhecimento científico, tecnologia, competitividade, qualidade, autonomia e sustentabilidade.
Única associação 100% nacional no segmento, hoje a AEA está consolidada no setor automotivo como um centro catalisador de soluções. Atualmente, a entidade conta com mais de 80 empresas associadas, provenientes de diversos segmentos do setor automotivo que participam ativamente de comissões técnicas, grupos de trabalho, workshops, eventos, cursos e projetos voltados para o desenvolvimento da engenharia automotiva nacional. 
Para mais informações, acesse o site  www.aea.org.br

Divulgação
Textofinal de Comunicação Integrada
Tel.: (011) 3849-8633 - textofinal@textofinal.com
Koichiro Matsuo - k.matsuo@textofinal.com
Juliana Sih - juliana@textofinal.com